Hoje é o Dia do Vinho! Comemore, sabendo fazer a melhor escolha

 

Dia 03 de junho é o Dia Nacional do Vinho, essa bebida muito apreciada pelos brasileiros. Porém, para quem é um amante, mas não um especialista, com tantas opções no mercado fica difícil na hora de escolher.

Esse post vai te apresentar todas as características dos vinhos, relacionadas ao sabor, aroma e visual de cada tipo. Temos certeza que essa tarefa se tornará mais fácil quando terminar de ler esse post. Preparado?

 

 

Os vinhos são classificados de acordo com a classe, cor e teor de açúcar.

Classe

Esse item ajuda a definir a graduação alcoólica e o estilo da bebida. Essas informações podem ser encontradas no rótulo:

Vinhos de Mesa – de acordo com a legislação brasileira, o teor alcoólico deve ser entre 8,6 e 14%, e variam entre finos, nobres, especiais, comuns, frisantes ou gaseificados. São indicados para acompanhar as refeições.

Vinhos Leves – assim como o nome já sugere, essa categoria tem o teor alcoólico mais baixo, entre 7 e 8,5%. A bebida é obtida a partir da fermentação dos açúcares naturais das uvas ou a partir dos vinhos de mesa.

Champagne ou Espumante – o teor alcoólico varia entre 7 e 10%. Segundo a legislação francesa, apenas as bebidas espumantes produzidas na região de Champagne podem receber esse nome, porém no Brasil não depende da região de produção, e sim da quantidade de gases presentes na bebida e como eles foram obtidos.

Vinhos Frisantes – são facilmente confundidos com champagnes ou espumantes. Para os que não entendem muito do assunto, isso deve-se à alta gaseificação, natural ou artificial, porém para ser  considerado um frisante, o vinho deve ter entre 7 e 14% de teor alcoólico em volume e a grande diferença entre eles e os espumantes está na pressão necessária.

Vinhos Compostos – possuem teor alcoólico entre 14 e 20% e a principal característica é adicionar no momento do preparo outros ingredientes como açúcar, caramelo, plantas amargas ou aromáticas, mistela simples e até o álcool etílico potável de origem agrícola, o importante é que 70% do conteúdo seja originário do vinho de mesa.

Vinhos Licorosos – também possuem alto teor alcoólico, entre 14 e 18%, e assim como os vinhos compostos, também são resultado da adição de ingredientes como o álcool etílico potável de origem agrícola, mosto concentrado, mistela simples, caramelo, açúcar e caramelo de uva. Esses vinhos são degustados como aperitivos ou digestivos.

Cor

A cor de um vinho pode ser relacionada ao tipo de uva utilizada ou ao processo de fermentação.

Vinho tinto – possuem diferentes tonalidades de vermelho. A cor final está diretamente ligada à combinação entre o tipo de casta e o processo de fermentação escolhidos. São feitos com uvas tintas ou pretas. A harmonização é indicada com carnes vermelhas, porém também é essencial levar em consideração a acidez e a quantidade de taninos, e até mesmo as gorduras presentes na receita da comida.

Vinho Branco – é pode produzido a partir das uvas verdes e claras, porém também pode ser produzido com as mais escuras.  A sua coloração deve-se ao processo de retirada das cascas, mantendo apenas a polpa da fruta na fermentação. É indicado para climas tropicais como o que temos no Brasil e harmonizam bem com peixes e frutos do mar.

Vinho Rosé – pode ser produzido a partir de um blend de tipos de uvas ou a partir de uvas escuras, liberando pouca coloração no processo de fermentação, pois são expostas a um breve da casca com o mosto. Assim como o Vinho Branco, é indicado para climas tropicais e harmonizam com pratos grelhados ou salmão acompanhado de pouco molho.

Teor de Açúcar

Essa informação também é facilmente encontrada no rótulo, trata-se de um quesito que influencia muito no sabor da bebida. Essa classificação refere-se à quantidade de açúcares residuais na bebida, o quanto restou na fórmula e que não foi transformado em álcool ou gases após a fermentação.

Vinho Seco – são o de menor quantidade de açúcar, devem ser preparados com até 5g de açúcar por litro de bebida, aproveitando quase toda a da frutose das uvas. Podem ser brancos ou tintos e em sua maioria são degustados como vinhos de mesa, acompanhando as refeições.

Brut – O termo está diretamente ligado à quantidade de açúcares em champagnes e espumantes e podem ser divididos em:

Brut Nature – não há quase nenhum açúcar na fórmula e nem a adição artificial.

Extra Brut – assemelha-se ao Brut, porém pode ter até 6g de açúcares.

Brut – tem uma tolerância de até 15 g de açucares por litro de bebida.

Vinho Suave – têm mais de 20g de açúcar por litro de bebida, podendo ser resultado da soma do açúcar residual da fermentação acrescido de outras quantidades posteriormente. Os vinhos suaves acompanham perfeitamente as sobremesas, ou ainda, podem ser apreciados como digestivos após a refeição.

Vinhos demi-sec – São os meio doces, possuem entre 5 e 20g de açúcar por litro da bebida. Essa categoria é intermediária ao Seco e ao Suave. A harmonização é bem versátil, os mais adocicados combinam com sobremesa, enquanto os mais encorpados e complexos vão bem com carnes brancas. É possível encontrar uma vasta opção de tintos, brancos e espumantes nessa categoria.

E aí, todos preparados para o tim-tim? Então, venham brindar essa data no La Mamma Cucina, com rótulos de primeira e servidos da maneira correta para nenhum apreciador botar defeito!

Ainda não conhece nossa carta de vinhos? Clique AQUI e já comece a sua escolha. Ah, e se você preferir, pode também levar nossos rótulos para apreciar em sua casa ou pedir pelo delivery!

Leia também o nosso post sobre os diversos tipos de taças

Fontes de pesquisa: www.blog.artdescaves.com.br e www.blogbenvino.assinegobox.com.br