Você já ouviu falar em Comfort Food?

 comfort food - lasanha

O conceito “Comfort Food “ foi criado nos Estados Unidos e em uma tradução mais livre faz alusão a comidas reconfortantes. Sabe aquela comida que te abraça quando você saboreia e automaticamente te desperta uma memória afetiva? Essa sensação tem o poder de influenciar no humor e na segurança, acalmando rapidamente os sentimentos negativos.
O termo Comfort food pode ser associado a momentos de grande significado afetivo na vida das pessoas e tem o poder de despertar sentimentos como conforto e bem estar, nos remetendo a memórias e emoções.

 

Um estudo classificou as Comfort Foods em quatro grupos: alimentos nostálgicos, alimentos de indulgência, alimentos de conveniência e alimentos de conforto físico.

 

  • Comidas nostálgicas

Como o próprio nome já diz, as comidas nostálgicas são as que nos remetem ao nosso passado, às nossas origens e nos reconectam com a nossa essência, costume e cultura. São os pratos que possuem o gostinho de comida caseira.

  • Comidas de indulgência

As pessoas que optam por esse grupo estão passando por um momento de despreocupação em relação ao valor nutricional ingerido e escolhem apenas pelo prazer que as comidas de indulgência lhe proporcionam, como no caso das “junkies food”, por exemplo. O prazer é momentâneo no alívio dos sentimentos de tristeza e angústia, porém, dependendo da quantidade ingerida, em seguida pode vir o sentimento de culpa.

  • Comidas de conveniência

Assim como o nome sugere, as comidas de conveniência prezam pela praticidade e consumo rápido, como no caso de algumas comidas industrializadas, mas ainda assim, trazem um certo conforto em relação ao paladar e à memória afetiva, como no caso de um biscoito que se aproxima ao preparado por sua avó em sua infância.

  • Comidas de conforto físico

As pessoas que optam por esse grupo, além de estarem buscando o conforto emocional, também buscam a ação química no cérebro proporcionada por certos alimentos, como no caso do café, que influenciam positivamente no estado físico.

O momento ao qual estamos sendo obrigados a vivenciar, pode ser uma forma de nos “aproveitarmos” da companhia desses pratos e fazer do nosso isolamento um momento de reconexão com emoções positivas que um dia vivemos, seja em nossa infância ou antes da pandemia se instaurar.

 

Já pensou em trocar pratos com um familiar querido?
Peça para a sua mãe preparar aquele bolo que só ela sabe fazer e prepare algo que você sabe que ela gosta. Além de ser uma forma de demonstração de carinho, esse momento poderá ser muito reconfortante e prazeroso.
Caso a cozinha não seja o seu forte, peça um prato saboroso e deixe a surpresa por conta do delivery, com certeza ela se sentirá abraçada.

Facebook
Twitter